O início

Imagem de autoria da proprietária do blog. Todos os direitos reservados.

Este post é o início de tudo. O início de uma compilação gigantesca de experiências, estudos, leituras e muitas horas de mão na massa quando se trata do assunto ‘beleza’.

Após muitos anos fazendo de tudo nos cabelos, após muitos anos estudando sobre cores, muitos estudos sobre consultoria de imagem, após muitos anos de experiência sobre cuidados com a pele, após muitas dietas, tentativas e erros sobre alimentação e após tanta batalha para conseguir criar uma imagem pessoal que refletisse quem eu realmente sou, consegui chegar lá \o/ – e resolvi dividir minhas experiências e conhecimentos com vocês. Porque, como todas sabem, beleza é fundamental, mas para se tornar bonita é preciso criar uma imagem pessoal que seja condizente com quem a pessoa realmente é por dentro, do contrário você dificilmente se sentirá completa.

Eu sempre gosto de analisar, antes de mais nada, a personalidade e o temperamento da pessoa. Antes de querer impor pra pessoa se tal cor ou tal roupa ficará bem pra ela, é necessário entender quem esta pessoa é, como ela age diante do mundo, o que ela quer mostrar para o mundo, como se sente. Muitas vezes caímos no erro de classificar uma pessoa como sendo da paleta “inverno” sendo que esta pessoa tem um temperamento sanguíneo, uma personalidade dinâmica e colorida que nada tem a ver com as cores da paleta inverno. E o que acontece numa situação dessas? A pessoa de temperamento sanguíneo que passa a se vestir com as cores de uma paleta que nada tem a ver com seu temperamento, passa a ter um conflito interno, que não ocorre em nível consciente mas sim em nível subconsciente. A pessoa não se sente bonita, não se sente a vontade, não se sente ela mesma – assim como as pessoas ao redor passam a ter essa mesma sensação a respeito dela – e ela sequer sabe porque isto acontece.

Este tipo de situação ocorre porque as cores e formas influenciam MUITO no nosso subconsciente e consequentemente acabam influenciando as pessoas ao nosso redor. Isto não quer dizer que algumas cores sejam sempre “ruins” ou sempre “boas”, não gosto de utilizar desta denominação. Acho importante ressaltar que certas cores poderão ter um efeito positivo ou negativo de acordo com a pessoa que a veste, e para isto deve-se levar em consideração o temperamento da pessoa, sua personalidade, a coloração de sua pele e de seus olhos. Ou seja: para algumas pessoas o preto pode cair super bem, dando um ar “chique”, para outras pessoas o preto pode deixar-lhes pálidas e com aspecto austero.

Através deste blog, pretendo dividir meu conhecimento sobre o assunto, além de falar sobre moda, produtos para cabelos, produtos para pele, dicas de beleza, música, gastronomia light e qualquer outro assunto que possa ser de interesse para mulheres vaidosas e bem antenadas.

Beijinhos =)